sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Cirurgia Bariátrica, os primeiros dias de uma nova vida...

Saudações...

Quatro dias se passaram desde que passei pela cirurgia. Foram duas noites na UTI e duas noites no quarto. O tempo que passei na UTI graças a Deus não foi nada devido a complicações ou algum outro problema. Os dias foram passados simplesmente porque na UTI tem-se um acompanhamento médico regular, com enfermeiros te examinando regularmente e sempre há um médico vindo ver se você está bem em intervalos muito menores do que quando estamos em um quarto de hospital. Quando fui para o quarto, senti até saudades das enfermeiras que estavam me acompanhando pois as mesmas vibraram muito quando souberam que eu havia feito a bariátrica e diziam a toda hora que eu deveria aproveitar para mudar minha vida. Era exatamente esta a ideia.

No quarto, passei a ter a companhia da minha esposa, filhos e também irmãos, pais e colegas que vieram me visitar. Todos preocupados em saber como eu estava, como me sentia e principalmente o que doía. Nada... simplesmente nada me incomodava exceto por uma dor aguda no ombro esquerdo e uma sonda enfiada na minha barriga (a qual foi apelidada carinhosamente de "meu cachorrinho" e me acompanhava enquanto restos de sangue saíam de dentro de mim). Minha dieta era apenas soro. Sentia-me o próprio Hommer Simpson em um episódio onde ele está internado e experimenta diversos tipos de soro, cada um com um "sabor" (inclusive bacon, haha). Não comia ou bebia e isso começaria apenas quando fosse para casa.


Saindo do hospital, ainda tinha uns 16 dias dos 20 que tirei de férias para fazer a cirurgia. Na minha empresa na época, fui obrigado a pedir as férias para fazer a cirurgia pois esta não foi considerada por eles como "de emergência" e sim "de embelezamento", sendo que meu médico quase surtou quando soube e contestou dizendo "- Eu é quem digo se a cirurgia é caso de emergência ou não!". Enfim, já que estava de férias, o negócio era aproveitar o tempo para me recuperar.

Em casa, passei a seguir a risca o que minha nutricionista havia prescrito. Minha dieta líquida resumia-se a copinhos de 50ml de bebidas diversas desde a hora que eu acordava até a hora que eu fosse dormir. Estes copinhos eram ingeridos em mini-golinhos, os quais faziam com que aqueles 50ml levassem uma eternidade para serem ingeridos. Sem problemas, eu ficava sentado no sofá, assistindo TV e me deliciando com as diversas bebidas que minha esposa trazia. O cardápio era amplo. Bebia água mineral, água de coco (natural, do coco verde mesmo), sucos feitos de fruta espremida e depois coado (e coado novamente, não podia haver nenhum tipo de fiapo), e também cerca de 300ml de um suplemento calórico (tomados ao longo do dia, divido em 6 ou 7 doses de 50ml) que me garantiam umas 400 kcal. Os primeiros dias, repouso absoluto. Levantava da cama, ia para o sofá e lá ficava assistindo TV o dia todo. Ainda bem que tinha TV a cabo na época, hehehe.

As mudanças nesses primeiros dias já eram possíveis de se notar. Ingerindo uma quantidade baixíssima de calorias, a perda de peso neste período é muito grande, podendo chegar até 1kg por dia em alguns casos. Lembro-me que a cada dia me olhava no espelho e via as roupas ficando cada vez maiores. Um detalhe importante é que eu jamais senti fome ou mesmo vontade de comer durante meu pós operatório. Assistia TV, passavam aqueles comerciais de churrascaria, pizzarias e também trash foods estilo MC Donalds da vida e sinceramente nada daquilo me dava água na boca. Estava em paz comigo. Estava tão tranquilo que quando recebia visitas em casa, sentávamos à mesa para lanchar, cada um aproveitando a sua maneira o café preto, com leite ou um Nescau gelado. Pão, manteiga e outras guloseimas e eu ali, no meio, rindo e conversando e tomando o meu "suquinho" do copo de 50ml. Por mais que meus visitantes insistissem para eu ficar na sala enquanto comiam, eu estava tranquilo ali e não passava nenhuma vontade com o que via.

Janeiro/2012 durante uma travessia em Caiobá com meu amigo e treinador Marcelo Vieira.
De cicatrizes da cirurgia, ficaram apenas alguns pontinhos.

Depois de uma semana, já caminhava tranquilamente pela casa e fui tirar os pontos. Minha cirurgia foi via videolaparoscopia então eram apenas pequenas incisões e as cicatrizes que tenho são quase imperceptíveis. No consultório o médico me perguntou como estava me sentindo. Estava ótimo, não lembro de ter dores ou alguma outra reclamação exceto a dor no ombro esquerdo que me acompanhava desde o dia seguinte a cirurgia, ainda lá no hospital. Bom, ao tirar os pontos, o médico também tirou o dreno que tinha e incrivelmente a dor que sentia sumiu!!! O dreno tinha uma boquinha apenas, mas incrivelmente quando o Dr. puxou-o de dentro de mim, saiu um cano muito grande. Estava ali a explicação para as dores que eu sentia, hehe. :)

Bom, a partir daí meu médico disse que eu deveria começar a me mexer. Já não tinha mais pontos para cuidar então deveria passar a caminhar um pouco mais (e não apenas da cama para o sofá), além de continuar a dieta líquida por mais uma semana (até totalizar 15 dias depois de sair do hospital e aproximadamente 20 dias de cirurgia) conforme prescrição da nutricionista.

Passei a andar mais pela casa e também a dar algumas voltas no quarteirão. Devo admitir que era difícil pois me sentia um tanto fraco e por várias vezes fazia umas paradas para descansar! O importante era que estava andando. Certo dia, até no mercado fui. Caminhando por cerca de duas quadras. Devo ter levado quase duas horas naquele dia para andar 2 quadras, fazer compras e voltar carregando uma sacola, ehhe! :) Pelo menos estava fazendo o que o médico havia recomendado.

Acabando a semana, voltei a minha nutricionista para receber a dieta pastosa, que deveria ser seguida por mais uns 15 dias. Nesta dieta, já passei a incluir mais porções de comida estilo: purê de batatas (nunca comi tanto e como era bom), feijão batido, carne moída (bem moída e ralinha feita como molho) e também carne desfiada. As receitas eram várias e minha esposa sempre foi muito criativa para não me fazer cair na mesmisse. Se bem que só com o purê eu já estava satisfeito, hehe! Um detalhe importante era que o tempero era o mínimo possível. Sal e olha lá!!!

Como parte da reeducação alimentar, comia usando talheres de sobremesa. Então, garfo e colher eram menores e consequentemente as porções que colocava na boca também. Mesmo sendo comida pastosa, eu deveria mastigar e mastigar MUITO bem! Sem problemas, seguia sempre certinho e tudo corria dentro do esperado.

Eu deveria voltar a trabalhar na semana seguinte, quando meu período de férias terminava. Entretanto, alguns dias antes durante um almoço resolvi comer um pequeno pedaço de brócolis (só a pontinha, nada do caule) e me senti estranho. Me senti cheio, só que um cheio diferente dos outros dias. Ao comer novamente, de repente vomitei. Esperei um pouco, comi novamente e vomitei novamente. Tomei água e vomitei, e aquilo se sucedeu durante o dia todo. Cada coisa que comia ou bebia, voltava. Sei que lendo assim é nojento (acreditem, na hora era mais ainda) mas faz parte do processo então deve ser compartilhado. Como isso era por volta de três da tarde, deixei quieto. Final da tarde, tentei comer de volta e voltou novamente. Era hora de ligar para o médico e contar o que estava acontecendo.

Ligação feita, fico tranquilo em saber que meu médico não havia se preocupado e iria me atender no dia seguinte, a tarde. Até lá, eu deveria continuar bebendo Gatorade (ou qualquer outro isotônico), por mais que eu vomitasse. Era importante já que eu poderia me desidratar então quanto mais bebesse e vomitasse, alguma coisa iria absorver. Segui a risca o combinado (durante este período de dieta pastosa, minha porção líquida havia passado de 50ml para incríveis 100ml heheh).

No dia seguinte, ao visitar o médico, disse que me sentia entupido e foi isso mesmo que havia acontecido. Ele me explicou que na técnica de Capela, quando eles refazem o duodeno, muitas vezes há um inchaço na cicatrização e o buraco fica mais estreito do que deveria e provavelmente alguma coisa parou ali e me entupiu (até hoje culpo o brócolis por isso). Resultado: Me passou uma Guia para eu fazer uma Endoscopia com utilização de um balão gástrico para inflar e corrigir o buraco. Como esse procedimento precisava ser feito com jejum de 12 horas, somente no outro dia consegui prosseguir com a endoscopia (ou seja, foram mais de 2 dias entupido, ahah). Devido a isso, meu médico pediu para eu ficar mais 10 dias em casa, retornar com a dieta líquida por 3 dias (para a nova cicatrização) e depois voltar para a dieta pastosa.

Liguei para meu chefe para avisar que iria ficar mais alguns dias em casa e aquilo foi encarado como se eu estivesse "matando trabalho". O mesmo solicitou que eu levasse o atestado médico pedindo o afastamento antes mesmo de retornar (minha esposa foi obrigada a deixar lá) e periodicamente eu recebia ligações de algum superior meu, perguntando se estava tudo bem e se eu precisava de alguma coisa. Logicamente depois fiquei sabendo que essas ligações eram efetuadas para ver se realmente eu estava em casa ou se estava apenas "matando trabalho". Tudo bem, ossos do ofício. Minha saúde em primeiro lugar e ponto final.

Enfim, logo após a endoscopia, após acordar do sedativo, já me sentia melhor e não apresentei nenhum outro tipo de complicação. Voltei para a dieta líquida conforme solicitado e depois para a pastosa. Depois de alguns dias, encarei novamente um pedaço de brócolis olhando friamente para o mesmo e dizendo: "- Desta vez você não irá me derrubar!". Dito e feito, comi-o sem dó e ele foi digerido como deveria ter sido desde a primeira vez.

É importante salientar que esse "entupimento" não foi nada de anormal. Acontece e qualquer bariátrico que passe pela cirurgia de Capela está sujeito. Por isso mesmo o acompanhamento médico e nutricional é importante pois se eu tivesse negligenciado qualquer um dos dois, poderia ter me complicado tendo uma desidratação ou sabe lá o que mais.

Enfim, após um mês no estaleiro. Entre entrar na sala de cirurgia e voltar a trabalhar, 30 dias haviam se passado. Eu já estava uns 20kg mais magro, as roupas já apresentavam sinais de que estavam cada vez maiores e só não eram tão grandes quanto o meu sorriso e a cara de felicidade com que voltei a trabalhar.

O resto, fica para a próxima vez!!!! Até mais...




15 comentários:

  1. ae Bocao!!! cara, vc deveria postar fotos do passado, tipo antes da cirurgia, tempos depois de vc perdendo peso e hj!!! Ficaria legal pra ter ideia da sua evolução!!! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leo, bom dia. Eu vou postando algumas fotos, da época que estava gordo, muito gordo, magro, muito magro... mas vou fazer isso aos poucos. A idéia aqui não é tornar isso um book fotográfico, haha! Também tenho que te dizer que não tenho fotos do tipo (1º mês, 6 meses...). Minha preocupação sempre foi com a saúde e não com o meu "porte físico". Mas vou colocando sim, pode deixar. Abraços e obrigado por seu comentário.

      Excluir
  2. Aí Guilherme...
    Como eu também fiz cirurgia bariátrica,e isso foi em 2004, um conselho de amigo...
    Depois do 5º ano a dedicação aos exercícios e na escolha do que se come e bebe tem que ser levado muito a sério!!!
    Essa cirurgia não faz milagres, só da uma ajudinha e o resto é por nossa conta!!!
    O índice de quem ganha peso e até chega a voltar ao mesmo IMC anterior à cirurgia é assustador.
    Mas você está no caminho certo, é só caprichar e procurar manter!!!
    Vamos que vamos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Elcio. Obrigado por seu comentário e saiba que vindo de uma pessoa como você é realmente um prazer recebê-la. Eu sempre insisto com as pessoas que me perguntam sobre a bariátrica que ela não resolve a obesidade e sim apenas te dá ferramentas de trabalhar melhor com isso. Um ex-obeso jamais será um magro e todo dia deve-se lembrar isso. Além disso, a mudança nos hábitos realmente é importante.

      Vamos que vamos e é sempre um prazer encontrá-lo nas corridas por aí. Para mim você é um dos exemplos a serem seguidos de persistência e dedicação com a saúde própria.

      Grande abraço.

      Excluir
  3. Ótima iniciativa! Parabens pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Paroli. Pelo menos assim você pode saber o que eu ando fazendo aqui em terras tupiniquim! :) E você, largou de vez o cigarro? Abraços.

      Excluir
  4. Tem que postar qual foi a reação de seus colegas de serviço quando vc voltou a trabalhar.. deve ter sido muito legal... rsrsrs

    ResponderExcluir
  5. Oi Guilherme Tudo bem?
    Vou fazer essa cirurgia também e gostaria de saber se a Endoscopia com utilização de um balão gástrico o plano de saúde cobriu? To procurando me informar, pra depois não ser pego de surpresa. ja estou fazendo os exames.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Olá! Você teve problemas com sobra de pele, queda de cabelos ou dentes fracos?
    Fez cirurgia plastica?
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Eu tenho problemas com queda de cabelos. Isso acontece em decorrência da queda na taxa de Ferritina, sendo que é necessário sempre estar fazendo reposição. Não apenas de Ferritina mas também de B12. Então, é mais que essencial manter o acompanhamento médico ao longo dos anos. Tenho 8 anos de operado e ao menos 1x por ano preciso repor Ferritina e B12.

      Um abraço

      Excluir
  8. Vou fazer a cirurgia em 6 dias, e adorei sua narração do pós operatório... vc escreve muito bem!

    Estou empolgado e ler testemunhos como o seu me dão mais certeza de que fiz a escolha certa!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paulo, boa noite. Espero que encontre-se bem. A cirurgia é apenas o início para uma nova fase em sua vida, lembre-se disso quando estiver passando por momentos difíceis.

      O caminho é longo, porém recompensador. Basta acreditar em si mesmo.

      Um abraço e fique bem. Obrigado pelo elogio.

      Excluir
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  10. Obrigada! Estou aqui com o dreno e morrendo de dor no ombro! Me tirou as minhas dúvidas, espero que a minha suma junto com o dreno como a sua.

    ResponderExcluir

Desde já agradeço seu comentário!

Obrigado e até mais.
Guilherme Baron